Locação de Imóveis em São Paulo – Aumento em Março 2011

28, abril, 2011

Quando o sonho da casa própria parece distante, uma boa saída é locar moradia. Um levantamento realizado pelo Departamento de Economia e Estatística do Secovi-SP revela que os aluguéis residenciais novos na cidade de São Paulo avançaram 2,1% entre fevereiro e março de 2011. Esse crescimento, no final das contas, gera índice de 15,25% n acumulado dos últimos 12 meses.

Na visão de Francisco Crestana, vice-presidente de Gestão Patrimonial e Locação do sindicato, atualmente existe falta geral de imóveis para alugar na capital paulista, situação que empurra os valores da locação para cima.

O Secovi-SP aponta que os contratos de aluguel celebrados em conformidade ao Índice Geral de Preços do Mercado (IGP-M) sofrerão reajuste em 10,95% em abril, taxa acumulada e relacionada aos últimos 12 meses encerrados em março.

A ascensão registrada nos contratos novos foi estimulada, especialmente, pelas residências de dois e três dormitórios, cujas taxas avançaram 2,7% e 3,6%, respectivamente. Nas moradias de um quarto o acréscimo abraçou índice de 0,5% no mês de março em detrimento a fevereiro.

A expansão do setor imobiliário pode ajudar a explicar essa constatação de carência de imóveis de locação. Algumas pessoas, na espera pela entrega das chaves de seu lar próprio, optam por alugar um canto temporário.

Por Luiz Felipe T. Erdei

Fonte: Secovi-SP

Aluguel, Aluguel de imóveis, Locação de Imóveis, São Paulo

Aluguel de Imóveis para Páscoa 2011

12, abril, 2011

O feriado de Páscoa deste ano ganhou um plus já que o feriado de Tiradentes ficou aglutinado nesta data. Esta é a desculpa perfeita para aproveitar os quatro dias de descanso ouvindo o som do mar.

O Conselho Regional e Corretores de Imóveis de São Paulo – CRECI – publicou índices relativos aos preços de aluguel de imóveis por dia no litoral. Os valores dos aluguéis para está curta temporada varia de R$ 80,00 à R$1400,00 a diária.

Mesmo os valores estando acima do esperado, são poucos os imóveis ainda à disposição, pois a maioria já está alugada para todo o feriado prolongado.

Aqueles que ainda pretendem, de última hora, obter um "espaço ao sol" devem se apressar, pois quanto mais próximo do feriado, mais caros são os valores  e menores as opções de imóveis. Uma boa dica, neste momento, é tentar negociar parcelamentos mais suaves ou ainda uma troca de favores com os proprietários de imóveis para temporada, isso com toda certeza vai reduzir, e muito, na hora de pagar pelo imóvel alugado.

Por Layla Rodrigues

Aluguel, Aluguel de imóveis, Notícias, Páscoa

Aluguel de Imóveis – Reajuste do valor em abril de 2011

31, março, 2011

Um dos meios para conquistar a independência física da casa dos pais é adquirir um imóvel próprio ou buscar aluguéis de residências, que podem tanto ser casa como apartamento (de um, dois ou mais dormitórios). A opção por um ou outro depende do valor praticado e da intenção do consumidor.

De acordo com o Sindicato das Empresas de Compra, Venda, Locação e Administração de Imóveis Comerciais e Residenciais do Estado de São Paulo (Secovi-SP), os contratos de aluguel residencial que utilizam o Índice Geral de Preços do Mercado (IGP-M) como base serão reajustados em 10,95% em abril. Apesar de o índice se mostrar elevado, trata-se da menor taxa desde janeiro.

De acordo com Roberto Akazawa, gerente do Departamento de Economia do Secovi-SP, em função da insuficiência de oferta de residenciais para locação, o reajuste precisa ser consagrado integralmente. Se entre abril do ano passado e março de 2011 o aluguel chegava a R$ 1 mil, com essa correção o novo valor fica em R$ 1.109,50.

Por Luiz Felipe T. Erdei

Fonte: Secovi-SP

Aluguel de imóveis, IGP-M, Notícias

Secovi-SP – Aluguel de Imóveis em São Paulo – Crescimento em fevereiro de 2011

22, março, 2011

O boom imobiliário, no país, teve diversos pontos de origem, entre eles poder de renda mais saliente do brasileiro, bem como aumento do número de empregos na última década e acesso ao crédito com menos restrições. Para atalhar possibilidades de “bolha imobiliária”, assim como outros entraves semelhantes, o Banco Central (BC) decidiu iniciar um ciclo de alta da taxa básica de juros da economia, Selic, assim como determinações em torno do crédito.

Em compensação, muitas pessoas ainda optam por alugar imóvel residencial, casa ou apartamento. Segundo informações divulgadas pelo Sindicato das Empresas de Compra, Venda, Locação e Administração de Imóveis Residenciais e Comerciais de São Paulo (Secovi-SP), o número de contratos novos relacionados à locação, na cidade de São Paulo cresceu, 0,9% em comparação a janeiro, índice que salta para 15,14% no acumulado dos últimos 12 meses.

De acordo com Francisco Crestana, vice-presidente de Gestão Patrimonial e Locação do sindicato, embora exista grande falta de imóveis para locação na cidade, incidindo no avanço de valores dos novos contratos, a taxa de incremento de aluguéis apresenta-se em baixa. Para fomentar sua opinião, avalia que é a primeira ocasião, desde novembro do ano passado, que a ascensão do índice fica abaixo de 1%, ou seja, a incidência de oferta e demanda começa a ilustrar equilíbrio.

Separado por portes, as moradias de um e dois dormitórios sofreram aumento de preços de 0,4% e 0,5%, respectivamente, ao mesmo tempo em que moradias de três dormitórios representaram avanço de 2,5%.

Por Luiz Felipe T. Erdei

Fonte: Secovi-SP

2011, Aluguel de imóveis, São Paulo, Secovi

Aluguel de imóveis sobe 11,32% em São Paulo

31, janeiro, 2011

Àqueles que não possuem condições de adquirir imóvel novo ou que não querem fazê-lo por motivos distintos, locar residências surge como boa alternativa, sobretudo quando ela está situada próximo ao local de trabalho. Em 2010, o mercado de locação residencial para os paulistanos aumentou consideravelmente, tanto aos contratos mais antigos como aos novos.

De acordo com Sindicato das Empresas de Compra, Venda, Locação e Administração de Imóveis Residenciais e Comerciais de São Paulo (Secovi-SP) nos contratos válidos com aniversário neste início de ano (janeiro) e com o Índice Geral de Preços – Mercado (IGP-M) como base para cálculos, o aumento chegou a 11,32% entre janeiro e dezembro.

Nos contratos novos fixados no mês passado, houve acréscimo médio de 1,9%, no valor de apartamentos e casas, em comparação a novembro. Para Francisco Crestana, vice-presidente de Gestão Patrimonial e Locação do sindicato, essa alta serena poder ter como origem a ascensão das devoluções e atendimento de listas de espera de locatários.

A falta de imóveis para locação pode até diminuir nos próximos anos, pois as residências edificadas com base nas diretrizes do programa “Minha Casa, Minha Vida” devem ser entregues gradualmente. Contudo, ainda é cedo para emitir qualquer apreciação em torno dessa possibilidade.

Por Luiz Felipe T. Erdei

Fonte: Secovi-SP (release)

Aluguel de imóveis, São Paulo